Ministro só quer ficar bem na fotografia

Precariedade na Educação continua
 
 
O Ministério da Educação está a enganar a opinião pública ao dizer que só renovará os contratos aos Técnicos Especializados das escolas que foram colocados até 16 de setembro de 2016, porque sabe bem que o ano lectivo passado, a maioria destes trabalhadores só foram colocados em finais de setembro, outubro, e novembro.
Assim são só alguns trabalhadores, nomeadamente Psicólogos em Serviço de Psicologia e Orientação, é que terão os seus contratos renovados por mais 1 ano. Todos os outros técnicos – Terapeutas,  assistentes sociais – estão impedidos de verem os contratos serem renovados e  na melhor das hipóteses só serão colocados nos finais de setembro. Mas como, pelo menos em alguns agrupamentos, estão a colocar menos vagas a concurso, alguns destes trabalhadores ficarão efetivamente desempregados.
A FNSTFPS acusa o Ministro da Educação de faltar à verdade no comunicado que deu origem à notícia do Jornal Público (de 15 de Agosto) quando disse que todos os contratos dos técnicos seriam renovados, desde que houvesse essa vontade por parte do trabalhador e do Agrupamento e se mantivesse a necessidade. 
O que está a acontecer nas escolas é uma realidade bem diferente da anunciada pelo Ministério.
A Federação denuncia que o Ministério só se preocupou em ficar bem na fotografia, procurando passar a ideia que a maioria destes trabalhadores seriam reconduzidos. Nem de perto nem de longe isto está a acontecer. Somente cerca de 5% dos mais de 4000 trabalhadores é que sabem que este ano não estarão desempregados. Todos os outros passam pelo mesmo problema dos anos anteriores. Vidas decididas ano a ano em funções que desempenham, no mesmo local de trabalho, há 10, 12, e mesmo 20 anos.
É urgente por fim ao drama da precariedade e com operações de cosmética não vamos lá.