STFPSN DESMENTE MINISTRA DA SAÚDE

Exclusão do Hospital de Braga do Acordo Colectivo de Trabalho é uma discriminação sem justificação

A justificação dada ontem pela Ministra da Saúde para a exclusão dos trabalhadores da unidade hospitalar de Braga do acordo de regularização de carreiras, normalização salarial e aplicação das 35 horas não tem sentido nenhum.

A transição desta unidade do regime de PPP para EPE está a ser acompanhada há mais de um ano, não é uma novidade, nem o acordo assinado ontem feriria a gestão hospitalar nem os direitos de qualquer trabalhador desta unidade. 

Como é sabido, a situação laboral dos trabalhadores desta unidade hospitalar só se alteraria mediante requerimento de cada trabalhador, logo todos os outros teriam a sua condição salvaguardada perante eventuais problemas.

Usar o argumento de que poderia haver trabalhadores que ficariam prejudicados com este acordo não é aceitável, continuando o STFPSN a afirmar que é imoral que trabalhadores do Hospital de Braga estejam a receber menos 130 euros do que os trabalhadores das outras unidades contempladas no acordo. Sim, há trabalhadores a auferir 518 euros! 

Esta situação é inaceitável e o STFPSN condena as palavras e a posição negociar da Sra. Ministra e do seu Ministério, nesta matéria.